O problema é… A covardia!

Qual a dificuldade dos gênero masculino em dar a real pra mulherada? orque é tão difícil ser franco, honesto? É covardia? É canalhice? É o quê?

Que todo canalha pode ser um cafajeste, o dicionário Houaiss já me disse que sim. E que todo o fraco é covarde, também – aliás, você sabia que a palavra covarde deriva da francesa code.uard (a quem falta coragem), originada de coue (a saber, cauda), associada àquele que traz a cauda baixa? Interessante…

Aliás, como a origem de uma palavra pode ser significativa, não é?

A essas alturas, deduzo que um fraco nem sempre e não obrigatoriamente é um canalha. Mas e o cafajeste, é ou não um fraco? Volto para o dicionário em busca de ajuda… Por lá, chego à conclusão que todo canalha é desprezível, tem pouco valor, não presta, é ordinário, não tem dignidade, é miserável e insignificante. E essas duas últimas palavras, então, me conduzem à iluminação…

Bingo!

Concluo que ambos, cafajestes e covardes, comungam da falta de força moral. E, assim sendo, os dois se enquadram em uma mesma categoria: a  da omissão por fraqueza. Ambos se escondem em mentiras e omissões, traem e fogem da raia com a cara mais deslavada do mundo, saem pela tangente e deixam na mão. A diferença fica na consciência, ou melhor, na culpa – que o covarde carrega e o canalha faz de conta que não existe e despreza.

Assim sendo, cara amiga, se você cair envolvida por um destes dois tipos, saia correndo! Livre-se o quanto antes. Por mais que pareça bom, a falta de força moral (a fraqueza) nunca vale o beijo gostoso, o sexo nem tão mara,  a companhia no what´s . Porque, no final das contas, esse romance vai é baixar sua vibração, sua confiança – o que pode abalar seu poder pessoal. E nada é pior do que isso, garota. Sim, tem algo bem pior:  colocar energia e ocupar a mente com quem não vale a pena, deixando de abrir o coração pra um cara que realmente está a fim de você.

Texto de abril de 2014