Desesperada para casar # 9

Wanderley, sem perceber a sombra que havia cruzado os pensamentos de Luciana, pegou a namorada pela mão e começou a caminhar na direção do carro. Como das demais vezes, não fez menção alguma em abrir a porta para a namorada – o que, de fato, mais uma vez, não aconteceu.

De volta ao quartinho barato do hotel, Luciana começou a pensar nas últimas 24 horas e percebeu que as coisas realmente não eram aquilo que pareciam ser via internet. Ao tomar consciência desse fato, uma enorme dor passou a apertar seu peito. Se isso fosse verdade, então todos os planos de casamento iriam cair por terra. E, novamente, os títulos de encalhada e solteirona voltariam a surgir nas reuniões de família. E ela voltaria a ouvir as mesmas perguntas de sempre.

Não!

Definitivamente, ela não iria desistir do seu objetivo.

Nem morta!

Agora que estava ali, prestes a ser oficialmente pedida em casamento, iria até o fim. E, mesmo que ele não fosse exatamente como ela imaginara….

Bem, tudo bem!

Afinal, nada é perfeito! E isso depois se dá um jeito, refletiu.

E, então, resolveu mudar os rumos dos seus pensamentos, tratando de relevar algumas das esquisitices do namorado e esquecendo as sovinices dele nas últimas 24 horas. Ela daria a Wanderley e ao possível casório mais uma oportunidade.

E foi exatamente o que aconteceu.

Continua aqui.

PS:  ‘Luciana, desesperada para casar’  é uma das primeira histórias que escrevi,  inspirada nas protagonistas desastradas dos livros que me divertiam no raiar de 2004. Um tempo em que as protagonistas não contavam com a ajuda de facebook, instagram, tinder, what´s app ou do falecido orkut.